Como andar de ônibus nas estações tubo em Curitiba: as impressões de uma carioca

Quem me conhece sabe que andar de ônibus não é uma das minhas coisas preferidas nesse mundo. Sinto calor, me perco toda, não sei onde saltar e geralmente pego o errado. Ou seja, uma tragédia! Como eu tinha ouvido falar muito bem sobre as estações tubo em Curitiba; transporte público mundialmente conhecido como modelo, decidi me arriscar e ver no que dava essa aventura. (Sim, pra mim é uma aventura, ainda mais em uma cidade desconhecida).


Eu estava muito curiosa para saber como seria essa experiência, por vários motivos:

porque a cidade não tem metrô. Que tipo de capital não tem metrô, minha gente?
O que me fez crer mais ainda que o sistema realmente devia funcionar.

porque é algo super diferente essa história de estação tubo. Como é isso? Eu entro no tubo? Pago no tubo? Tem trocador? Eu não tenho “RioCard” curitibano, e agora?

porque eu tinha que ver como era, pra poder escrever pra vocês, não é? 🙂


estações tubo em curitiba

Estação tudo gigante, no centro.


Sem muito esforço, todas as minhas perguntas foram respondidas logo no primeiro dia de aventura-urbana, e só um pensamento não saia da minha cabeça: isso tinha que ter em todas as cidades ever!!!

 

Vou te explicar direito como funcionam as estações tubo em Curitiba, vem comigo:
 
Antes de pegar o ônibus:
Logo na frente do meu hotel em Curitiba tinha uma estação tubo, gigante por sinal, essa da foto aí de cima. Quando cheguei, a primeira coisa que fiz foi enfiar minha cabeça lá dentro pra saber como eu ia pagar por aquilo.
E sim, tem um trocador ali, logo do lado da roleta e da máquina do “Card”.

Aí, eu perguntei pra trocadora (90% das estações que fui as trocadores eram mulheres) como eu fazia pra chegar na Rua 24 horas. Ela me disse qual ônibus pegar e qual porta esperar por ele. A passagem custou R$2,70.

CHIP DE INTERNET COM 10% DE DESCONTO

Já pensou em chegar no seu destino conectado? O chip da Viaje Conectado tem planos de dados ilimitados que funcionam em 140 países. É só colocar o chip e pronto! Compre com 10% de desconto automaticamente por esse link. Compre aqui!

 
 

Como essa estação tubo era muito longa e vários ônibus diferentes passavam por ali, cada um tinha suas portas específicas para parar, assim as pessoas já ficavam distribuídas pelas portas corretas. Não tem esse negócio do ônibus parar onde quer e você ter que correr igual a um louco atrás do dele.  Já ganhou 1 ponto.


A trocadora escondidinha ali na esquerda.

Segunda vantagem já de cara: como você paga a passagem no tubo e fica esperando o ônibus, quando ele chega você já entra direto, e depois de um tempinho as portas se fecham, como no metrô. Evita aquela coisa do ônibus ficar 20 min parado no horário de pico, esperando aquela fila imensa pagar e passar pela roleta pra ele poder seguir viagem. 2 pontos!

Algumas estações chegam até ter a linha das paradas que o ônibus faz, olha:

Paradas do ônibus Biarticulado.



Dentro do ônibus:
Quando meu bus chegou, a primeira coisa que pensei foi: “é um ônibus ou é um avião?” 
Ele era enorme, daqueles que chega a ter mola, sabe? rs
Lá em Curitiba eles chamam de ‘biarticulado’, pois tem duas molas (claro). Eles são super comuns nessa estação tubo, pois as ruas são especiais pra ele passar, o que possibilita a circulação de um ônibus tão longo.


O famoso Biarticulado.


Essas ruas especiais são como a faixa exclusiva de ônibus que tem no Rio e em São Paulo, sabe? A diferença é que lá os táxis não podem andar, e geralmente é uma terceira via exclusiva para os ônibus e não uma faixa só. 

 
 
 

Tenta imaginar: Na pista da direita passam carros pra uma mão, na da esquerda passam os carros pro sentido oposto, e tem uma terceira no meio, onde passam os ônibus da estação tubo. Ou seja, menos trânsito. 3 pontos já pro busão! Da uma olhada nessa foto aqui pra visualizar melhor.

DICA: Você deve prestar atenção redobrada pra atravessar a rua! Como tem uma pista a mais, e nela andam ônibus pelas duas direções, pra quem não está acostumado fica difícil saber de onde pode vir algum veículo.


Os tubos no meio, e as faixas dos carros na direita e esquerda.





Saindo do ônibus:
Uma vez lá dentro, e sem trocador, fiquei imaginando como eu ia saber onde saltar. E adivinha, só? O ônibus fala as estações, como no metrô ou em alguns ônibus na Europa. Gente, isso que é transporte público! Não existe nem cordinha pra você mandar o ônibus parar, pois ele para obrigatoriamente em todas as estações, o que evita aquela sacanagem do ônibus passar por fora!!

“Próxima parada, estação Mariano Torres. Desembarque pelas portas 2 e 4” 

Tem até porta pra embarque e porta pra desembarque, pra agilizar mais ainda todo o processo. 50 mil pontos pro busão! Agora entende-se por que eles não tem metrô. Esse ônibus é o metrô, simples assim.

Marcação das portas para saltar.



Os números das portas são marcados com um adesivo nas próprias e nessas plaquinhas no alto, pra você poder ver mesmo sentado em qualquer parte do ônibus.

Precisa pegar mais de um ônibus?
Se por acaso você precisar pegar mais de um ônibus pra chegar ao seu destino, na estação tubo você paga só uma passagem! Por exemplo, você entra no primeiro tubo e paga sua passagem. Saindo em outro tubo, você pode ficar ali dentro e pegar outro ônibus, sem pagar de novo. 

Isso também funciona se você parar em qualquer terminal de ônibus = 1 passagem, vários ônibus! Mas isso só nos tubos, ok? Uma vez que você sair do tubo, pra entrar de novo tem que pagar passagem nova. 


Outros ônibus em Curitiba:
Existem diversos outros tipos de ônibus na cidade: um tal de ligeirinho, interbairros, entre outros, mas que não peguei pois o da estação tubo era mais prático e me levou pra onde eu precisava.

Gostei tanto da experiência que andei de ônibus em Curitiba durante toda a semana. Fiz meu turismo todinho com ele e nem precisei usar a Linha Turismo da cidade. Foi barato, rápido e divertido! 🙂

Estações tubo em Curitiba

Ônibus da linha Turismo.


É claro que o transporte de lá deve ter seus problemas, deve ficar lotado em horários de pico, como em qualquer outra cidade grande brasileira. Nem tudo são o mar de flores, não é mesmo? Mas posso dizer que realmente nesses aspectos descritos (e em muitos outros, sem sombra de dúvidas) Curitiba está dando um show de evolução por aí. É muito fácil andar de ônibus em Curitiba!



Ainda ficou alguma dúvida de como andar de ônibus em Curitiba?
Manda a ver nos comentários!

 
 
 
 
LEIA MAIS

 

78 Comentários

  1. Oi Thaís. Valeu pelas dicas. Estou indo a Curitiba passear. Se o tubo é nosso metrô, com vista para ver o mundo, então é mais atraente. As dicas foram mega preciosas. Obrigada. Baixei um mapa dos tubos no site do mobilize. Depois te conto. Fui. Bom Natal e ótimo 2017.

  2. ‘GUUURRRLLL’, AMEI!
    Tô morando aqui há alguns dias e não conheço praticamente ninguém que possa me explicar essas coisas, você me tranquilizou muito com essa matéria, já vou lá pro tubo e depois procurar onde faço o cartão que facilita a vida hahah.
    Beijo e obrigada ><

  3. Oi Thais, pelo visto, valeu a pena se aventurar em Curitiba através do transporte público local. Acredito que tenha sido uma boa experiência. Vou tentar fazer tb! Bjus

  4. Oi Thaís, Pesquisando como se locomover de ônibus em Curitiba, encontrei seu blog. Irei para Curitiba mês que vem e queria saber como você fez para visitar os pontos turísticos na Cidade sem a linha turismo. Fui somente uma vez em Curitiba mas já faz uns 9 anos. E não andei de ônibus por lá. As ruas são sempre bem movimentadas para ir visitando os lugares e pegar informações também caso você se perca?

    • Oi Jéssica,
      eu sempre pesquisava primeiro no google qual ônibus pegar e ia… se eu mudasse de trajeto, perguntava no ponto de ônibus.
      Tem muita gente na rua, é de boa ir perguntando, ou pesquisar no cel. Fiz tudo assim, sem pegar a linha turística nem um dia!
      Beijão

  5. Olá ! Pesquisando sobre como se locomover em Curitiba me deparei com a tua matéria. Parabéns, adorei ! Tirou várias dúvidas que eu tinha, pois não conheço a cidade e irei visitá-la na próxima semana. Quando eu voltar comento sobre minha experiência lá. Obrigada e Sucesso ! Um Abraço !

  6. Eu gosto muito do transporte de Curitiba, apesar de que nos horários de pico é bem complicado, mas acho que em toda a capital eh. Acho muito fácil se localizar.
    Contei no meu blog que uma vez fui para o Rio, andei por tudo de ônibus e metro, não tive problemas, mas na hora de tomar o ônibus que me levaria para o aeroporto, não vi ele passando e foi o maior sufoco!!!

    • Oi transporte de Curitiba é o máximo mesmo!! E horário de pico, não tem jeito, é cheio em qualquer lugar…
      Eu acho o transporte do Rio péssimo. Super mal sinalizado, e ninguém sabe informar nada. Fora os mil ônibus que passam por fora… é dose!!
      Vou dar uma passada no seu blog para ler 😉
      Beijão!

  7. Olá,
    Sou natural de Curitiba e fico muito feliz em saber que grande parte das pessoas que vem aqui saem com este sentimento de admiração. Por eu morar aqui e muitas vezes não conhecer outros transportes acho que temos ainda muita coisa para melhorar, os preços das passagens, os entupimentos nos horários de pico como foi comentado, e ainda grande parte das pessoas não respeitam os lugares preferenciais, que é claro acontece em todo o lugar…mas o custo beneficio vale apena, aaaaaah se por acaso vocês darem um bom dia para um curitibano e ele não responder, isso é normal tá! Temos a fama de sermos muitas vezes mais gelado que o frio de inverno aqui kkkkk, mas em compensação podem comer pão com vina (salsicha) ou um belo chineque (pão doce com farofa) a vontade, que é uma delicia…são nomes peculiares de muitas coisas que só aqui em Curitiba existe onde acredito que daria um belo post.
    Parabéns pela matéria e venham para cá…abraços.

    • Oi Rogério,
      Eu realmente fiquei em cantada com tudo que vi em Curitiba! Amei a cidade e pretendo voltar muitas vezes.
      A gente às vezes acaba não dando valor às coisas boas que temos, e é sempre bom relembrar que poderia ser bem pior! rsrs
      Eu comi pão com vina no Au Au e adorei!!!
      Beijão e obrigada pelo comentário 😉

  8. Oi pouco tarde pra comentar vendo a data que você escreveu rsrs… O Ligeirão é um ônibus azul que anda em uma canaleta exclusiva pra ele e anda bem rápido. É considerado o maior ônibus urbano do mundo. Serio ele é muito grande e rápido vale apena dar uma conferida nele. Abraços

  9. Você deveria criar um aplicativo. Se você ver me cel, não cabe mais de tantos e vc explicou tudo e muito claro oq nhm explicou. Antes de ler, estava morrendo de medo de sair na cidade, que ônibus pegar e como. Muito obrigado, ficou show esse post.

  10. Além do que a Thaís mencionou, gostaria de ressaltar alguns pontos:
    Positivos:
    – Mesmo nos horários de pico, pelo menos eu, nunca fiquei esperando mais de 15 ou 20 minutos por um ônibus (biarticulados e ligeirinhos).
    – No site da URBS da para ver os horários e onde exatamente estão os ônibus, eles tem GPS em cada veiculo.
    – Dificilmente, raramente atrasam.
    – Nos horários de pico tem algumas rotas extras, geralmente de terminal para terminal.
    – No domingo é 1.50 a passagem.
    – Ninguém ouve musica alta.
    – Quando não souber ou estiver em dúvida basta perguntar, a maioria está pré-disposta a ajudar.

    Negativos:
    – Falta de manutenção: Em várias estações tubos não dá para ler aqueles informativos, tem furos no chão e chove dentro.
    – Ônibus antigos: Tem alguns que nem tem o painel eletrônico, o nome da rota aparece em uma placa impossível de ler a noite.
    – Pessoas furando o tubo: Quando o ônibus para e abre a porta o pessoal entra pelo lado sem pagar.
    – Falta de integração: Quando você desce dentro do tudo de um lado da rua e quer pegar o ônibus do outro lado tem que pagar outra passagem.
    – Desembarque: As pessoas não esperam todos descerem para entrar.
    – Pichação: Vidros dos ônibus e das estações tubo são todos riscados.

    O sistema em si é muito bom.
    Alguns pontos positivos e negativos são por causa das próprias pessoas.

    • Oi Willian,
      desculpa a demora pra responder, mas estava viajando.
      Obrigada pela contribuição, adorei!
      Amei essa coisa da passagem ser mais barata no Domingo, deveria ser assim em todos os lugares!

      Beijão!

  11. Show Thais!! Sou de Fortaleza. Eu e minha namorada estaremos indo para Curitiba em dezembro passar 10 dias. Seu post foi muito bacana, iremos ficar hospedados no centro.. provavelmente seja o mesmo hotel em que você ficou. (Golden park) obrigado pelas dicas!!

    • Oi Thaís,
      pesquisei sobre o hotel que você falou.. muito bom mesmo!
      só que já fechei o pacote desde maio e ficaremos no Golden park, e pelo que pude ver tem uma ótima localização também, fica próximo a rodoferroviária.

      Vou ficar de olho sim! hehe.. Quero mais dicas, pois ficaremos 10 dias!! hehe..

      Beijos.

  12. Parabéns pelo post e agradeço pelos Curitibanos
    De fato andar por toda Curitiba e região metropolitana com uma unica passagem facilita a vida da população ainda mais que vc pode planejar o itinerário pelo celular consultando horário na estação tubo, placas em terminais com horário ou com fiscais que sempre estão pelos terminais tb a mapas nos pontos de ônibus para vc se localizar.

    • Oi Dayane,
      nossa, isso é demais! O transporte público no Brasil está cada vez mais caro. Curitiba não satisfeito em oferecer o melhor que já vi, ainda cobra menos por isso! Sensacional! =D

      Beijão

  13. obrigada por ter conhecido e amado minha cidade, sou curitibana mesmo, de falar leitE quentE, vina, bolacha, 🙂 mas eu gostaria de falar tb que agora nos terminais e tubos, há uma placa que avisa a hora em que o ônibus estará passando no ponto. um exemplo: inter 2 (12:00; 12:30; 13:00) e por aí vai.

  14. Oi. Para questão de conhecimento, o governante Jaime Lerner foi contratado pelo órgão responsável do transporte público de Nova York, onde ele realizou todo planejamento e projetounos ônibus de la também… Portanto se alguém ver ônibus articulado em NY um Paranaense implantou lá 🙂 e parabéns pela matéria deixa os curitibanos mais orgulhosos de sua cidade… Abraço

  15. Guria, como é bom ter um olhar de alguém de fora! Aí, a gente passa a perceber o lado bom de novo rsrsr

    De fato, em horários de “pico” o ligeirinho fica tão lotado que temos diversos apelidos. Quando morei em Curitiba, chamávamos de lata de sardinha rsrs

    Dá para imaginar como era, né? rsrsr
    Abraço!

    • funciona sim, Thaís! sem contar que hoje você pode também usar apps que mostram em que lugar da rota o ônibus está, uma vez que todos os carros têm gps e que a prefeitura libera o sinal deles para estes aplicativos. então, moleza: é só conectar e ver onde está o ônibus, bem como qual a rota que ele faz.

      e se não confiar no aplicativo, tem o horário de saída dos pontos finais de cada linha no site da prefeitura. 😉

  16. Thaís, ADOREI seu blog. Parabéns.
    Sou carioca, mas Curitibano de coração Hahahaah. Sempre que da eu viajo pra lá, e ainda não conheço todos os ônibus Haha.
    Voltarei e indica rei seu blog. Muito bom.
    Um grande beijo e me chama quando voltar em Curitiba Hahaha

    • Oi Marco,
      obrigada!!!! 🙂
      Estou me tornando Curitibana de coração também, aquela cidade me conquistou! Obrigada pela indicação e não deixe de acompanhar pois vão sair outros posts sobre a cidade!

      Beijão

    • haha oi João!

      A gente tem essa tendência de se auto criticar mesmo, acho que por se acostumar.. É sempre bom ter essa comparação pra dar valor as coisas boas que a cidade tem.

      Eu amei TANTA coisa em Curitiba, que todos meus posts serão só babando sobre a cidade.. esse não poderia ser diferente!

      Beijão

  17. Olá Thaís!

    É de extrema gratificação pra nós, curitibanos, lermos um post assim da nossa Curitiba. Realmente, nosso sistema é bem diferenciando de diversas capitais do Brasil e somos privilegiados pela facilidade de locomoção de um lugar para o outro.

    Conforme citado no final, como todos os lugares, também enfrentamos filas e superlotações em horários de pico, mas nada que gere atrasos absurdos para o ir e vir do dia-a-dia.

    Seu blog está de parabéns! Também sou amante de viagens e sempre que posso faço de uma curiosidade a oportunidade para conhecer algum cantinho novo desse mundão!

    Boa semana!

  18. Bem massa mesmo… moro em Curitiba há 8 anos. O sistema é muito bom mesmo, infelizmente os biarticulados funcionam melhor sentido centro. Nos bairros, os chamados “alimentadores” que são os amarelos, funcionam como qq onibus de qualquer cidade, cheios e demorados.

  19. O sistema dos ligeirinhos é também por tubos e terminais, mas a diferença é que as paradas ficam muito mais longe umas das outras e ele anda por ruas “normais”, de uso de carros. Mas na minha opinião o melhor ônibus pra se pegar aqui é o ligeirão, o biarticulado azul, é muito rápido. Uma grande falha (dos usuários) é que nos horários de pico os onibus ficam lotados, e as pessoas se acumulam na porta 3 e fica impossível de entrar no ônibus, sendo que tem espaço para ir pro fundo ou para a frente do ônibus

  20. Oi Thaís. Excelente análise.
    Não sei se passou por alguma, mas a prefeitura implementou, há um ano aproximadamente, um projeto chamado “Tubotecas”. São pequenas bibliotecas dentro das estações tubo. O acervo já possui cerca de 70 mil obras, a maior parte fruto de doações.
    Que ideia né??
    Da próxima vez que vier visitar a cidade já sabe, traz um livro pra complementar o acervo da Tuboteca!!!
    Abração.

  21. Thaís, parabéns pela matéria.

    Vou te complementar algumas informações, pois vivi 6 anos felizes em Curitiba.

    1° Sim, nos horários de pico o sistema já está acima da curva de saturação, razão pela qual o metro subterrâneo será construído em Curitiba. Mas a questão lá é diferente das demais metrópoles brasileiras. Eles tratam a saturação com medidas práticas. Há cerca de 5 anos atrás os principais terminais do sistema foram reformados e redimensionados, linhas que tiveram grande aumento de demanda tiveram os tipos de ônibus trocados, por modelos com maior capacidade, dentre outras coisas.

    2° Pelas vias para carros que percorrem paralelas às canaletas, a diferença de tempo entre o carro e o ônibus não é maior que 30% nos trajetos, favorecendo o transporte coletivo.

    3° Quando eu não precisava de carro para o meu trabalho, usualmente o deixava em casa. Além de eu morar próximo à um terminal, que me dava várias opções, aqueles ônibus amarelos, e os laranjas (alimentadores e integradores) passavam próximo ou tinham ponto final nos arredores da minha casa, permitindo que eu fosse à qualquer ponto da cidade de forma rápida e confortável.

    4° Os ligeirinhos, aqueles “bólidos prateados” principalmente nas linhas Inter 2 e Inter 4 são os de maior saturação do sistema por se trataram das principais redes radiais o que sobrecarrega demais as linhas, e ainda está difícil encontrar uma solução.

    5° A melhor de todas: Eu podia sair a noite, de carro, tomar um porrete no buteco, largar o carro no estacionamento ou outro lugar, e voltar de ônibus para casa, pois o serviço “madrugueiro” tem frequência média de 37 minutos nas canaletas, te levando aos extremos da cidade. As demais linhas ficam inoperantes, mas mesmo assim, anda-se bem à noite.

    6° A pior de todas; Curitiba é a metrópole com maior escassez de táxis no país, em dias de tempestade, ou muito frios a espera pelo serviço rádio táxi é superior a 1 hora.

  22. Ahahha.. muito bom Thaís!! Aprendeu direitinho…. Na próxima vez tem que andar no ligeirinho e também no ligeirão – o maior ônibus do mundo, com 28 metros de comprimento e capacidade para 250 passageiros 😉