Dicas de onde ficar e quais cachoeiras visitar em Visconde de Mauá

Quando fui a Visconde de Mauá descobri que existem várias cidadezinhas ao redor de Mauá propriamente dita e que todo mundo conhece e chama de Mauá sem ser. Dentre elas estão Maromba, Maringá/RJ, Maringá/MG e Rio Preto. Por estarem muito coladas acabam sendo bem parecidas, mas dependendo do tipo de viagem que quiser fazer, indicaria uma área específica para se hospedar. Vamos entender?

 
 
Cachoeira do Escorrega.

 

 
 
Você deve pensar o que procura: clima romance para namorar, para comer bem, para curtir as cachoeiras, para descansar ou todas as alternativas anteriores!
 
1) Para clima romance/lua de mel, super indico o hotel que fiquei em Maringá/MG e que falo no post “Visconde de Mauá: destino lua de mel no Brasil”.
 
Na verdade, me apaixonei por Maringá/MG. Tudo lá é mais arrumadinho, com os melhores restaurantes, mais vazio, mais civilizado, sem aquele bolo de gente disputando por um lugar pra sentar. Contribui muito para quem quer descanso, silêncio e fugir da loucura da cidade grande. É minha parte preferida!
 
2) Se você está viajando para curtir as cachoeiras e pegar um solzinho, talvez seja melhor se hospedar em um local mais perto delas, como na Maromba. Tenho a impressão que lá é o ponto preferido dos cariocas, e eu sinceramente acredito que seja pela proximidade das cachoeiras, ou por não conhecer Maringá/MG. (já viram que vou defender o post inteiro..rs)
 
 
Vista do alto de Mauá.

 

 
Maromba é legal, tem umas pousadas bem afastadas, que eu prefiro pelo silêncio e tranquilidade, mas não tem bons restaurantes. Por estar mais afastado à esquerda de tudo, você tem que andar mais um pouco para chegar em algum lugar legal. Além disso lá há muitos hippies e adolescentes que fumam (sabe?)…talvez você possa não curtir muito. 
 
Para você entender melhor onde fica cada cidadezinha veja o mapa abaixo.
 
 
Mapa complexo Visconde de Mauá.
 
 
Viram como Maromba está mais à esquerda? E conforme você vai entrando nela, a estrada vai piorando, ficando mais de terra, com mais buracos. Deve dar uma preguiça andar isso tudo para ir comer. 
Ali em Maromba você tem a Cachoeira do Escorrega (da foto do meu marido descendo ali em cima) e a Cachoeira véu da Noiva que são super turísticas. Ah! Paga-se um estacionamento de R$7,00 para parar no Escorrega.


 
Segundo relatos de alguns locais de Maringá/MG, as cachoeiras mais bonitas são a Santa Clara e Cachoeira do Santuário. Um ponto forte é que são mais escondidas e mais vazias! Estão vendo no mapa à esquerda mais acima um verdinho escrito “Vale da Sta. Clara”? É ali. Para se hospedar mais perto delas é bom estar em Maringá/RJ ou Maringá/MG.
 
3) Maringá/RJ tem bastante lugar para comer, mas pouco lugar para estacionar. Parece ser a parte mais cheia de pousadas e lojinhas de todo complexo Mauá, e por isso mais tumultuada também. Mas sem dúvida é um ponto central entre cachoeiras e bons restaurantes do complexo. Talvez seja o melhor lugar para se hospedar com família com crianças. Mas não vou mentir: é a parte mais “farofa” de Mauá.
 
4) Visconde de Mauá mesmo é esse à direita, onde está escrito “Vila de Visconde de Mauá”. É a área onde mora a maior parte dos locais e trabalhadores do complexo. Acho o pior lugar de todos para ficar. Longe de todos os atrativos. Só tem um restaurante MARAVILHOSO (que falarei um outro post) e fica perto da Dutra. Só.
 
 
Eu morrendo de medo dessa ponte do rio de cai no Parque Corredeiras.
 
 
5) Bem no meio do mapa, subindo, você pode ver o Vale do Alcantilado em verdinho. Lá tem o Parque Corredeiras, com bóia cross, tirolezinha e esportes mini radicais, todos pagos;  e o Museu duas rodas, um micro museu com um acervo de motos de várias épocas.
 
Fui no museu porque meu marido AMA motos, né, mas é a maior furada. É minúsculo, fica fechado quando não tem ninguém lá, então nem aguentei ficar lá dentro pelo cheiro, e você vê tudo literalmente em 2 minutos.
 
 
Museu duas rodas.
 
É só isso. Juro. Custou R$25,00 o casal e foi jogado no lixo. O “Museu” fica dentro do Parque Corredeiras. É super chato de chegar lá, o caminho é ruim, e se você tiver carro baixo vai sofrer um pouco, pois é distante. Só vale a pena ir a†é o parque se você gostar de fazer essas coisinhas mais radicais, mas que sinceramente nem achei tão radicais assim…rs
Mas sei lá. Se tiver tempo, confira e veja se gosta!
 
Voltei pra Maringá/MG frustrada do caminho péssimo e não ter visto nada de interessante. Conversando com o dono de um restaurante por lá, fiquei sabendo que se eu subisse mais um pouquinho o caminho eu chegaria nas 9 cachoeiras do Alcantilado que são lindas! E foi quando ele me deu esse mapa e me explicou tudinho. Até então eu estava perdida! rs
 
Ou seja, não conheci as 9 cachoeiras. Alguém já foi e aprova??
 
 
Resumindo tudo isso: minha indicação é se hospedar em Maringá/MG. Em minha opinião ele seria o “todas as alternativas anteriores” que eu brinquei lá em cima. Está perto de bons restaurantes, não está distante das cachoeiras, tem tranquilidade, tudo é mais bonito e silencioso. 
 
 
 

 

 

CHIP DE INTERNET COM 10% DE DESCONTO

Já pensou em chegar no seu destino conectado? O chip da Viaje Conectado tem planos de dados ilimitados que funcionam em 140 países. É só colocar o chip e pronto! Compre com 10% de desconto automaticamente por esse link. Compre aqui!


LEIA MAIS

13 Comentários

  1. Thais, também sou apaixonado por Maringá MG, que descobri por acaso depois de ir pra Maromba, As cachoeiras do Alcantilado são lindas mesmo, Você precisa conhecer a “Casa das Velas”, vai ficar encantada 🙂

  2. Pingback: Indicação de hotel em Visconde de Mauá: Casa da Colina | Guia Mundo Afora

  3. Olá Thaís,

    sou Natalia Perazzo, responsável do minube Brasil.
    Encontramos seu blog e gostamos do conteúdo (dicas, fotos e viagens). Gostaríamos de te fazer uma proposta de colaboração.

    Entra em contato com a gente através do [email protected]

    Um abraço.